17 de ago de 2009

A Periferia precisa acordar pra (sua) realidade

          Só na América Latina e na África as grandes empresas combalidas pela crise econômica continuaram ligadas as suas antigas matrizes. Na Europa e na China por exemplo, a GM foi vendida a empresas locais. Na América Latina, em especial, que aos olhos do mundo pertence aos EUA, os lucros das transnacionais por hora são extraordinários graças a desoneração tributária anticíclica adotada pelos governos depois de chantagens do tipo “senão vamos ter que demitir”. Se alguém tinha alguma dúvida de que se deva adotar um eficaz controle de capitais, aliado a uma política monetária que vise a depreciação do câmbio, veja essa matéria da Folha (não tendenciosa), que mostra que desde setembro do ano passado as remessas de lucros aumentaram consideravelmente (no caso de empresas alimentícias, por exemplo, as remessas aumentaram em mais de 700%). É um processo calamitoso, histórico, forjado à custa do empobrecimento dos países periféricos, que agora fica muito mais visível e cuja solução é evidente e necessária. Leia:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u610490.shtml  

          Mas, sei que não é fácil. Getúlio tentou criar a famosa “lei dos lucros extraordinários”, que limitava a remessa de lucros, mas foi boicotado e atacado e a proposta foi barrada no Congresso. Jango novamente se emprenhou em aprová-la, teve até que dar explicações na ONU, e quando tudo paracia que iria dar certo, veio o golpe militar. É sempre assim, os interesses são demasiadamente grandes, por isso os governos evitam tocar no assunto. Mas não dá pra cruzar os braços e esperar surgir um governo com peito pra enfrentar o problema, o desgaste é tão grande que os políticos sempre preferem deixar tudo como está – o que falta é pressão popular, sobretudo da classe empresária nacional, que deveria revindicar essas questões para ganhar competitividade, evitar a tranferência de recursos nacionais, aumentar a capacidade nacional de investimento e, consequentemente, de poupança, que eleva o nível de financiamento e reduz os juros.

13 de ago de 2009

A volta do Imperialismo expansionista

          Diversos países ricos, principalmente aqueles com limitações territoriais, como Coréia do Sul e Japão, estão comprando ou arrendando terras em países pobres para garantir seu suprimento de alimentos e enviando colonos para ocupar essas áreas. O Brasil é um dos alvos. Veja a matéria:

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,4560077,00.html

2 de ago de 2009

O maior dos crimes da ditadura militar

          Estava lendo e estudando o livro “A Nova Ciência das guerreiro ramosOrganizações”, de Alberto Guerreiro Ramos, reconhecidamente um dos mais brilhantes cientistas sociais que o mundo já teve. Guerreiro Ramos era brasileiro e foi deputado federal na década de 60, mas teve seu mandato cassado logo após o golpe militar em abril de 1964. Teve de se exilar nos EUA. O livro que citei, aliás, foi publicado originalmente em inglês. O brilhantismo da sua obra pode ser consultada por cada um a que interessar, e de veras recomendo fortemente aos estudantes de Economia, Administração e Sociologia. Por hora, o que quero ressaltar aqui é justamente o grave crime contra a pátria praticado pelos golpistas de 64, ao eximir do país homens do porte de Guerreiro Ramos que foram os maiores intelectuais que o país já teve, como por exemplo Darcy Ribeiro e Celso Furtado,Celso_Furtado este último até hoje é considerado nada menos que o maior economista brasileiro de todos os tempos. Os três primeiros atos institucionais do regime ditatorial e,  posteriormente, a operação Condor, simplismente acabaram com todos os que poderiam ter dado ao Brasil e seu povo a chance de terem um destino próprio, de superar seus males. O que restou no Brasil, em termos de política, foram mesquinhos nojentos corruptos. Os que realmente estavam preocupados em pensar o Brasil, em encontrar soluções para seus problemas e, o que é mais importante, comprometidos de fato com essas causas, foram obrigados a renunciar, o que imagino que para esses tenha sido algo muito semelhante a renunciar a sua própria vida. Se hoje no Brasil reina a corrupção e tudo mais de pobre que há, não tenha dúvida que os 25 anos de ditadura foi, não uma das causas, mas a causa disso. Não houve bons governos durante a ditadura porque isso seria impossível em tal meio corrompido, por tal tivemos apenas governos relativamente bons, como o do General Geisel que foi bom apenas se comparado aos outros governos do mesmo regime, mas não pôde ser bom na sua plenitude exatamente pelas causas que já apontei.

          Na década de 80 muitos daqueles poucos que sobreviveram puderam voltar ao país com a lei de Anistia, como Leonel Brizola. Infelizmente, uma maçã saudável não consegue melhorar muito um cesto cheio de maçãs pobres. A esperança é que com o decorrer do tempo, as bases corruptas herdadas do regime militar caiam aos poucos até que possamos ter um novo estado de coisas na política nacional. Infelizmente por vezes atrasamos esse processo de limpeza política ao eleger aqueles que estiveram na base de apoio à ditadura como o ex-presidente Fernado Collor ou aqueles que se cooligaram com os mesmos como Fernando Henrique Cardoso, e não fosse o bastante, quando assume aqueles que imagnávamos que pudessem fazer alguma coisa, nos decepcionam. Me agoniza a lentidão desse processo de renovação. Quanto tempo darcy-ribeiroteremos que esperar para ter novamente grandes personalidades como Darcy Ribeiro, Guerreiro Ramos e Celso Furtado esboçando verdadeiras políticas de desenvolvimento para o país? Por isso entendo hoje que o maior de todos os crimes da ditadura militar, mais que a repressão, mais que as torturas, mais que o endividamento do país, mais que qualquer outro, foi exatamente tirar de nós aquele que certamente teria sido o mais espetacular momento da nossa história, convertendo-o no mais trágico.